Logotipo Instituto Dona Carminha

Escola das Infâncias: Lugar de Acolher

O mês de março está chegando devagarinho, trazendo para nossa escola, dias potentes que serão recheados com encontros, poesias, poéticas e muita brincadeira.

Não podemos falar de nossa escola sem pontuar o nosso pilar que é ser uma escola inclusiva que acolhe diariamente seus bebês, crianças e famílias.

Foram dias bem intensos, onde nos dedicamos à arte do encontro, de se conhecer como pessoas, sujeitos que habitam este universo tão gigante que é a escola.

Houve choro, estranhamento, abraços, sorrisos, diálogos e mais diálogos e muita brincadeira, não há ponto final no processo de acolher, é algo inerente ao nosso fazer cotidiano, é permeado pelo afeto e esse afeto é a base fundamental da relação que construímos com a nossa comunidade.

Assim, podemos dizer que nossos dias tem sido feito de encontros mais suaves pois o reconhecimento de cada olhar, de cada gesto, de cada toque começa a se tornar familiar e a escola passa a ser este local de brincar, de explorar, de conhecer e de conviver.

Nossa escola que acolhe, tem muitas linguagens, é viva, é potente e acredita em cada bebê e criança que partilha e compartilha suas descobertas e experiências conosco… Há tantas primeiras vezes acontecendo todos os dias…

Assim aos pouquinhos, na velocidade desse mês que chega trazendo poesia, trazendo melodia, trazendo o feminino vamos nos fortalecendo nesta relação para juntos espalharmos encantamentos, fazeres, brincares, sorrisos e sutilezas em uma escola que acolhe, abraça e é movimento.

Uma escola que é o pulsar da vida, que se entrelaça nas histórias vividas por cada ser que adentra nossas portas…

Uma escola que investe nos espaços externos para acolher e convidar ao brincar e ao viver coletivamente…

Uma escola onde o tanque de areia, às vezes é praia, às vezes é castelo, às vezes é uma grande roda de mundos imaginários.

Uma escola que tem uma floresta enorme, que acolhe e convida a cozinhar com galhos, folhas, flores e pedras… Ah é tão apaixonante que vocês vão ter um documentário todinho sobre nossa Cozinha da Floresta.

Uma escola que convida a lavar a louça, molhando as panelas, tocando o amigo, dando risadas com a água, sentindo o cheirinho do hortelã, do manjericão e do orégano.

Uma escola que tem um mural que convida a fluir, que leva bebês, crianças e adultos a um estado de maravilhamento, que inspira a fluir nas pinceladas da artista.

Uma escola que acolhe e convida a sentir os aromas que nos visitam…há o cheirinho da lavanda que na entrada encanta e fascina… Há o cheirinho do leite, do pãozinho, há cheirinho de bolo, há cheirinho de suor dos bebês e crianças explorando o mundo e sentindo seu corpo vivo a pulsar…

Uma escola que tem joelho ralado, roupas sujas e muito tênis furado… Uma escola que aprendeu a ser escola mesmo com um vírus a nos rondar…

Uma escola pública, gratuita e que resiste: – afinal resistir também é acolhimento, poesia e luta.

Uma escola, que acolhe e convida a viver juntos, 200 dias letivos, repletos de infância.

Vem com a gente viver o mês de março, prometemos que será uma aventura, que será movimento, acolhimento e muita vida afinal somos escola.

 

Autoras: Patricia Torres, Tatiara Alves e Silmara Santos

Participe da discussão

4 comentários

  1. Uma escola onde eu,como monitora aprendo a cada dia,a importância do brincar,do escutar,do acolher e daquele abraço, que mesmo em meio a uma pandemia, a importancia pra muitas vezes o choro,a insegurança, aquele abraço ser o melhor gesto do dia!! Amo muito ser acolhida por voces e acolher nossas criancas!! Obrigada pela confianca de fazer parte dessa equipe maravilhosa!!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.